Olho Vermelho - Entrevista Porto Canal

Olho vermelho na Criança – Entrevista Porto Canal

Os olhos vermelhos na criança, sobretudo se ligeiros e sem sintomas associados, correspondem maioritariamente a situações inocentes e auto-limitadas… Mas por vezes acontece exactamente o contrário… Patologias crónicas que necessitam de intervenção médica especializada atempada não só para o diagnóstico e tratamento adequados, como também para programar um seguimento e terapêutica regular, prevenindo futuras recorrências.

As blefaroqueratoconjuntivites, muitas vezes subdiagnosticas e subtratadas, condicionam sintomas e sinais crónicos em crianças pequenas cuja capacidade para verbalizar junto dos cuidadores é baixa.

Assim sendo, o diagnóstico tardio pode vir já com cicatrizes da córnea. Portanto, chalázios e hordéolos (treçolho) de repetição, associados a lacrimejo fácil e fotofobia marcada (dificuldade com a luz) são sinais de alerta. O tratamento se instituído e cumprido de forma regular e crónica durante uma fase de actividade da doença permite dar conforto à criança, melhorando o seu bem-estar e a sua capacidade visual (que fica secundariamente diminuída).

As conjuntivites infecciosas agudas nas crianças são sobretudo víricas, podendo também ser de causa bacteriana, sendo contagiosas. O quadro pode estar associado a disfunção do nariz e ouvidos com rinite e otite. Apesar de estas conjuntivites, que são de longe as mais frequentes, serem mais uma vez auto-limitadas ou apenas necessitarem de medicação de conforto, não podem ser confundidas com uma conjuntivite por alguns tipos de vírus – como o vírus do Herpes – cujo diagnóstico e consequente tratamento são de crucial importância. Não só porque muitos dos fármacos vulgarmente utilizados no tratamento das conjuntivite banais poderem exacerbar o Herpes condicionando lesões irreversíveis do olho, mas também porque esta patologia é crónica e recidivante podendo necessitar de medicação prolongada.

Assim é de aconselhar uma observação atenta das nossas crianças por forma a mais uma vez procurar valorizar aquilo que enquanto pais reconhecemos como diferente no comportamento do nosso(a) filho(a). A prevenção e a intervenção atempada é fundamental para o seu futuro.

Reveja a entrevista em vídeo dada pela Porto Canal.

Artigos relacionadas

Comentários

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

Publicar comentário