Ambliopia pediátrica

Ambliopia

A Ambliopia corresponde à diminuição da função visual em um ou ambos os olhos devido a uma capacitação anormal da via visual na infância. Na ambliopia, pode não haver um problema óbvio do olho. A perda de visão ocorre porque as vias neuronais entre o olho e o cérebro não são adequadamente estimuladas na idade devida. O cérebro “aprende” a ver apenas imagens desfocadas com o olho amblíope mesmo quando são usados óculos mais tardiamente. Como resultado, o cérebro “favorece” um olho em detrimento do outro – o que é geralmente conhecido como o “olho preguiçoso”. É a principal causa de perda de visão entre as crianças.

A visão “normal” é uma aprendizagem e adquire-se durante os primeiros anos de vida. Nos recém-nascidos, a visão é muito rudimentar; no entanto, à medida que são estimulados, a visão melhora, porque os centros da visão no cérebro se vão desenvolvendo. Se os olhos dos bebês não forem capazes de captar imagens “nítidas”, os centros de visão não se desenvolvem adequadamente e a visão diminui, apesar da aparência normal da estrutura anatómica do olho.

A causa mais comum são os erros refrativos em um ou ambos os olhos, que não são corrigidos precocemente na primeira infância, resultando em um mau desenvolvimento da função visual no(s) olho(s) afetado(s) – ambliopia refrativa. Outra causa comum é o estrabismo – ambliopia estrábica. Mais raramente pode existir uma anomalia estrutural que prejudica a função visual como uma ptose (pálpebra caída) ou uma opacidade no eixo visual como as cataratas – ambliopia de privação. Podem coexistir vários fatores etiológicos.

A ambliopia tem tratamento e é reversível caso se detete e elimine os fatores causais de uma forma precoce. O tratamento é sempre dirigido ao fator precipitante. Além do recurso a óculos ou cirurgias, adequadas caso a caso, poderá ser necessário um período temporal mais ou menos longo de penalização ocular do “olho bom” – através de oclusão ou de gotas – por forma a ser possível equilibrar a capacidade visual de ambos olhos.

O rastreio é fundamental, mesmo que o seu filho aparente ver bem!

Artigos relacionadas

Comentários

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

Publicar comentário